Energia solar gera economia e conteúdo em escola no Rio

ago - 06
2019

Energia solar gera economia e conteúdo em escola no Rio

As notícias do Rio podem ser mais que trapalhadas dos nossos governantes. Algumas coisas boas também ganham destaque e merecem ser noticiadas, exemplo disso é a escola comunitária judaica Eliezer Max, que fez a instalação de painéis solares na sua unidade de Laranjeiras, Zona Sul do Rio de Janeiro.

O Rio já é conhecido como um dos piores prestadores serviços de energia do país, mas a instalação de 92 módulos fotovoltaicos gerou mais que economia de eletricidade na escola. Foram criadas diversas atividades educacionais sobre sustentabilidade.

Aulas de Iniciação Científica

Usar a tecnologia para gerar conhecimento não é novidade, mas superou à expectativa dos seus administradores. A escola está aproveitando os conteúdos relacionados ao projeto na parte pedagógica, envolvendo alunos de diversas faixas etárias, de forma permanente.

Os temas Geração da Energia Elétrica e Cálculo do Consumo de Energia estão sendo trabalhados nas aulas de Iniciação Científica e do Clube de Ciências.

“ENTENDEMOS QUE INICIATIVAS COMO ESSA SÃO CAPAZES DE AUMENTAR A PERCEPÇÃO DAS NOVAS GERAÇÕES SOBRE A IMPORTÂNCIA DE ALTERNATIVAS ENERGÉTICAS SUSTENTÁVEIS, E QUE A ESCOLA DESEMPENHA UM PAPEL FUNDAMENTAL NO DESPERTAR DESSA CONSCIÊNCIA”, COMENTABRUNO GOTTLIEB, DIRETOR ADMINISTRATIVO DO ELIEZER MAX.

Exemplos no Rio de Energia Solar

O Diário do Rio já mostrou ainda em 2018 outro exemplo com projeto similar, onde a ONG Revolusolar em parceria com uma empresa privada levou o Projeto Escolinha Solar para a escola Tia Percília, no Morro da Babilônia.

Escola Eliezer Max

A Escola Eliezer Max é uma escola judaica comunitária que atua nos níveis de Educação Infantil, Fundamental e Ensino Médio, com unidades nos bairros de Laranjeiras e Ipanema, Resultado da fusão de duas escolas tradicionais fundadas na década de 1950. Conquistou a 5ª melhor pontuação da cidade e a 6ª no estado do Rio de Janeiro no ranking do Ideb – Índice de Desenvolvimento da Educação Básica.

Fonte: Diário do Rio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *